terça-feira, junho 20, 2017

A VIDA PASSOU POR AQUI, PREMIO APTR MELHOR TEXTO


terça-feira, junho 13, 2017

NA BOCA DO CÃO


domingo, junho 11, 2017

AUTO DA COMPADECIDA, de Ariano Suassuna


terça-feira, junho 06, 2017

EMILINHA


A ESTRELA SOBE


CABEÇA (um documentário cênico)


sexta-feira, junho 02, 2017

INSTABILIDADE PERPÉTUA


quarta-feira, maio 31, 2017

O CÃO QUE SONHAVA LOBOS (solo infantil musical)


terça-feira, maio 30, 2017

DESCONTOS - 1° NUR ORIENTAL BELLY DANCE FESTIVAL


segunda-feira, maio 29, 2017

1º FESTIVAL DE DANÇA CONEXÃO DAS ARTES - EDIÇÃO 2017


“SOLTEIRA, CASADA, VIÚVA, DIVORCIADA”


sábado, maio 27, 2017

“ALAIR”


terça-feira, maio 23, 2017

TOM ZÉ: “CANÇÕES ERÓTICAS DE NINAR”


segunda-feira, maio 22, 2017

CORAÇÃO SELVAGEM - 1ª exposição individual de aquarelas de Sergio Guizé


quarta-feira, maio 10, 2017

IVANOV, de Tchekhov


sábado, maio 06, 2017

A VIDA PASSOU POR AQUI


quarta-feira, abril 12, 2017

JOSEPHINE BAKER, a Vênus Negra


segunda-feira, março 27, 2017

TUDO SOBRE ELAS, de Emilio Boechat


sábado, março 11, 2017

TUCCA


PONTE GOLDEN GATE, de Igor Cosso


segunda-feira, março 06, 2017

INSTABILIDADE PERPÉTUA


domingo, janeiro 22, 2017

CHAMADA 6º MOV CARIOCA - AGENDA 2017



                                                                               

terça-feira, julho 14, 2015

UCAM ESCOLA DE ARTES CÊNICAS


sexta-feira, dezembro 04, 2009

THIAGO SOARES E A CONSAGRAÇÃO EM MAYERLING

[...] The final Rudolph, Thiago Soares, was both physically and psychologically assured (hard to believe this was his debut in the role). His partnering, always a strength, is now sensational. In Act One, one of the more spectacular lifts went wrong; he got his partner down from an awkward everhead position with a minimum of fuss, all the while remaining – and so enabling her to remain – in character. Soares produced a horrifying vision of a man disintegrating before one’s eyes. He has become an indispensable performer. [...]
[...] O último Rudolph, Thiago Soares, estava tanto física quanto psicologicamente incorporado ao personagem; difícil acreditar que foi a sua estréia nesse papel. E sua habilidade como partner, sempre um de seus pontos fortes, agora é sensacional. No 1º. Ato, uma das pegadas mais espetaculares deu errado - mas ele desceu sua partner de uma posição complicada com um mínimo de confusão e não só permaneceu o tempo todo no personagem como permitiu que ela também permanecesse. Soares produziu uma visão horripilante de um homem que se desintegra diante dos nossos olhos. Já se tornou um bailarino indispensável. [...] Por Maurette Brandt