sexta-feira, dezembro 04, 2009

THIAGO SOARES E A CONSAGRAÇÃO EM MAYERLING

[...] The final Rudolph, Thiago Soares, was both physically and psychologically assured (hard to believe this was his debut in the role). His partnering, always a strength, is now sensational. In Act One, one of the more spectacular lifts went wrong; he got his partner down from an awkward everhead position with a minimum of fuss, all the while remaining – and so enabling her to remain – in character. Soares produced a horrifying vision of a man disintegrating before one’s eyes. He has become an indispensable performer. [...]
[...] O último Rudolph, Thiago Soares, estava tanto física quanto psicologicamente incorporado ao personagem; difícil acreditar que foi a sua estréia nesse papel. E sua habilidade como partner, sempre um de seus pontos fortes, agora é sensacional. No 1º. Ato, uma das pegadas mais espetaculares deu errado - mas ele desceu sua partner de uma posição complicada com um mínimo de confusão e não só permaneceu o tempo todo no personagem como permitiu que ela também permanecesse. Soares produziu uma visão horripilante de um homem que se desintegra diante dos nossos olhos. Já se tornou um bailarino indispensável. [...] Por Maurette Brandt